quarta-feira, 23 de março de 2011

Muiraquitã




A lenda do Muiraquitã (amuleto confeccionado em jade, diorite, estratite ou pedra cristal) se destaca pelo mistério que envolve o mineral do qual é feito e a versão de sua origem. Os mais famosos são de cor verde (jade) e de forma batraquiana (sapo) e sempre com atributos mágicos e terapêuticos, atraindo sorte e saúde para seus detentores. A fama e exotismo do amuleto o tornaram cobiçado desde os primórdios do século XVII, quando foram encontrados pela primeira vez na proximidades dos rios Nhamundá e Tapajós.


Segundo a lenda, os verdadeiros Muiraquitãs são filhos da lua e retirados de um lago imaginário denominado Espelho da Lua, Iaci-uaruá, na proximidade do rio Nhamundá, onde habitavam as índias Icamiabas, mulheres guerreiras que os europeus chamaram de Amazonas.


Retirados ainda moles do fundo do rio, eram moldados pelas índias em diferentes forma e endureciam em contato com o ar.


Até hoje o Muiraquitã é considerado objeto sagrado e, acredita-se que traz sorte, saúde e felicidade.


Não é máximo ?! Adorei esta Lenda! E já tenho meu Muiraquitã!

sábado, 12 de março de 2011

12 de março: Dia Mundial do Rim


No mês de março, além do Dia Internacional da Mulher, temos também o Dia Mundial do Rim.

No Brasil, são cerca de 2 milhões de pessoas que sofrem de algum problema renal, das quais, segundo dados da SBN (Sociedade Brasileira de Nefrologia), 60% desconhecem o problema.
Vou descrever aqui algumas informações importantes sobre os cuidados que se deve ter para o bom funcionamento dos rins.

O rim é um órgão nobre importante, frágil, que participa de várias atividades do organismo, sendo responsável pela filtragem do sangue. As impurezas do sangue chegam aos rins pelas artérias renais. Internamente, os rins possuem mais de 1 milhão de “filtros” chamados “nefrons”, que retiram as impurezas sanguíneas e o excesso de água, produzindo a urina. A urina será eliminada através dos ureteres, que são tubos que a levam até a bexiga, onde fica armazenada até que ocorra desejo de urinar.
A urina contém principalmente água, sais minerais e uréia, que é resultado da degradação de proteínas pelo fígado. Os rins também possuem funções hormonais responsáveis pelo controle da pressão arterial, produção de glóbulos vermelhos sanguíneos e vitamina D (que impede o raquitismo).


Em resumo, as principais funções dos rins são:



  • Filtração

  • Reabsorção

  • Regulação da quantidade de água no organismo

  • Controle da pressão arterial

  • Produção de vitamina D em sua forma ativa (juntamente com o fígado)


A melhor forma de preservar os rins é, no caso das pessoas saudáveis, manter uma atividade física e dieta adequada, diminuindo o sal da comida e consumindo água em abundância. Para a pessoa que já têm algum problema de saúde, é importante ficar atenta a alguns sinais, como espuma, sangramento ou diminuição do volume da urina.


É importante que outros profissionais da saúde, percebendo alguma anormalidade ligada ao funcionamento dos rins, orientem, imediatamente, o paciente a consultar um nefrologista para que ele possa solicitar os exames necessários ao paciente e detectar qualquer problema evitando, assim, outras complicações para o paciente.



Cuidados especiais para preservar os rins:



  • Manter ingestão diária de grande quantidade de água.

  • Diagnóstico precoce de infecção urinária (procurar o médico e colher os exames assim que começar a apresentar sinais e sintomas tais quais: alteração da cor e odor da urina, febre, ardor à micção, urgência miccional etc.).

  • Evitar o uso de drogas nefrotóxicas: alguns antibióticos (felizmente agora só pode ser vendido mediante receita médica) e, particularmente, anti-inflamatórios não-hormonais.

  • Avaliação médica anual.

    Exemplos de anti-inflamatórios não-hormonais que as pessoas utilizam frequentemente e sem indicação médica: piroxicam, diclofenaco, ibuprofeno, nimesulida, celecoxibe.

Cuide dos seus rins. São importantes para sua saúde.


Não se automedique. O uso indiscriminado de anti-inflamatórios pode prejudicar seu estômago e levar a consequências graves, a longo prazo, nos rins.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Topiramato – Risco de desenvolvimento de fenda palatina e lábio leoporino

Atenção amigos! Se conhecem alguma gestante que faça uso de Topiramato (nomes comerciais: Amato, Sigmax, Topamax, Toptil) avise do risco aumentado de desenvolvimento de lábio leporino.
FDA alerta que crianças nascidas de mulheres tratadas com Topiramato durante a gravidez têm risco aumentado de desenvolver lábio leporino ou fenda palatina (fissuras orais). Novos dados mostraram aumento do risco de desenvolvimento de fissuras labiopalatais; desta forma, a categoria de teratogenicidade passou de risco C para D, significando que existe evidência positiva de risco fetal humano baseado em dados humanos, mas os benefícios do uso do medicamento em mulheres grávidas pode ser aceitável em determinadas situações apesar de seus riscos. A bula de Topamax® será atualizada com novas informações. Recomenda-se que antes de começar o tratamento com topiramato, mulheres e gestantes em idade fértil discutam as opções de tratamento com o profissional da saúde. Mulheres que utilizam topiramato e planejam engravidar devem informar imediatamente seu médico (http://www.fda.gov/Safety/MedWatch/SafetyInformation/SafetyAlertsforHumanMedicalProducts/ucm245777.htm - 10/03/11).

segunda-feira, 7 de março de 2011

Uso prolongado de inibidores da bomba de prótons pode causar hipomagnesemia


Para a turminha que adora se automedicar, aqui vai um alerta sobre o uso sem orientação médica de omeprazol, pantoprazol, e outros da família. Faz o seguinte: consulte um gastroenterologista.
A agência americana (FDA) divulgou nota para os profissionais da saúde, que a prescrição de medicamentos inibidores da bomba de prótons (IBP) pode causar baixos níveis séricos de magnésio (hipomagnesemia), se utilizado por períodos prolongados de tempo (na maioria dos casos mais de um ano). A hipomagnesemia grave pode resultar em arritmias, espasmos musculares e convulsões; devendo-se ser tratado com suplementos a base de magnésio e, em casos graves, deve-se suspender o IBP. Desta forma, recomenda-se o monitoramento dos níveis séricos do magnésio em pacientes que fazer uso contínuo de IBP, assim como, digoxina, diuréticos e outros fármacos que possam causar hipomagnesemia (Fonte: http://www.fda.gov/Safety/MedWatch/SafetyInformation/SafetyAlertsforHumanMedicalProducts/ucm245275.htm. 02/03/11).